Necesitas javascript para ver a páxina

Novas

Está aqui

O Congreso virtual deixou patente o êxito da cooperação entre Galiza e Portugal do projeto Gerês - Xurés Dinâmico e mostra várias propostas a nível cultural, natural e turístico nos seus arredores.

26 Outubro, 2020

Durante a jornada, deram-se a conhecer vários estudos relacionados com o território em que se localiza a Reserva da Biosfera de Gerês - Xurés e que têm que ver com diversos campos como a interpretação do património, a elaboração de um mapa conjunto da zona que abrange Galiza e Portugal, a vida dos povos de esta área, a elaboração de rotas ou de fluxos turísticos.

 

O projeto Gerês –Xurés Dinâmico foi motivo de análise, em um Congresso Virtual Transfronteiriço, organizado pela Deputação de Ourense e coo financiado pelo Programa Interreg V A Espanha - Portugal, com a finalidade de promover a proteção e gestão sustentável dos recursos naturais da Reserva da Biosfera Transfronteiriça do Gerês - Xurés (RBTGX).

O presidente da Deputación de Ourense, José Manuel Baltar, e a directora de Turismo da Galiza, Nava Castro,  abrirom o Congresso no que tambén estiveron presentes, Belén do Campo, diretora geral de Património Natural da "Conselleria" de Meio Ambiente ; Ester Gomes da Silva, vice-presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional Norte; Luís Pedro Martins,.presidente de Turismo do Porto e Norte de Portugal; Sandra Sarmento; diretora regional da Conservação da natureza e das Florestas do Norte e Belén Muñoz, representante do Programa Interreg V A Espanha-Portugal (POCTEP). 

Nas suas intervenções coincidiram no essencial que é o bom entendimento nos dois lados da fronteira para desenvolver projetos de interesse na zona e dar a conhecer á povoação, aumentando a capacidade de atração turística do território e aproveitando todos os fatores, incluindo a gastronomia. O objetivo, segundo relataram, é também preservar a qualidade de vida dos habitantes de este tipo de enclaves.

 

Apresentação de vídeos Aquis Querquennis 3D

Dentro do programa do congresso Jesus Bustos e António Ortiz (Mystic Design,. S. L.) e Jaime García (Vsion Studio Interactive,. S.L.) apresentaram uma série de vídeos de recriação virtual 3D com personagens reais de dois minutos de duração para dar a conhecer os vestigios  arqueológicos Aquis Querquennis. Trata-se dos restos romanos situados a margem do rio Lima, na freguesia de Os Baños de Bande, cuja visualização estará agora disponível para todos na web desde a sua página, declarado Bem de interesse Cultural e na aplicação para telemóveis. Também estão pensados para fazer projeções no Centro de Interpretação Aquae Querquennae-Via Nova. A Deputação de Ourense tem grandes expectativas na possibilidade de realizar esta visita virtual ás ruínas, principalmente na actual situação originada pelo vírus Sars Covid-19, que pôs de manifesto a necessidade de utilizar as novas tecnologias.

 

Patrimonio Cultural e Natural

Durante o encontro abordou diferentes aspetos relativos à Reserva da Biosfera Transfronteiriça. Neste enquadramento se profundaram os estudos sociológicos realizados na povoação Galega e portuguesa. O congresso contou com experiências como a de Serafín Pazos, redator técnico do comité das regiões acerca do regulamento Interreg 2021-2027, que apostou por desenvolver projetos conjuntos autossustentáveis no tempo, além de aproveitar os instrumentos de inovação entre regiões nos dois lados da fronteira. Enquanto à riqueza natural apresentaram-se estudos que giram a volta das massas de água e da classificação de lugares de interesse geológico, a partir dos quais se elaboram uma série de propostas para continuar a pôr em valor o território do Gerês - Xures.

 

Vertente turística 

O congresso, moderado pelo Catedrático de Economia Aplicada da USC e presidente do Grupo Colmeiro, Luis Carames, contou com um apartado específico dedicado ao turismo, tendo em conta o grande potencial deste tipo de enclaves. Assim, desde TRAGSA, Avelino Rodríguez, explicou a importância da grande rota transfronteiriça. Laura González - Dopeso e Paulo Carrança, representando ao Turismo de Galiza e do Porto/norte de Portugal respetivamente, anunciaram a publicação nos próximos dias de um mapa conjunto que abrange a zona do Gerês-Xurés nas suas duas vertentes Galega e portuguesa e que estará disponível nas oficinas de turismo. Por outro lado, Yolanda Pena, de Ayeconomics, mencionou a sazonalidade depois de ter estudado os fluxos turísticos da zona. A proposta de Manuel Gago é José Manuel Costa, membros do grupo de investigação Romanarmy, versou sobre a maneira en que os vestigios arqueológicos podem ser explorados a nível turístico tendo em conta exemplos similares desenvolvidos em outros pontos.