Valores Naturais

Está aqui

A Reserva da Biosfera Transfronteiriça Gerês-Xurés (RBTGX) foi declarada o 27 de Maio de 2009, pela UNESCO, e está situada na Comunidade Autónoma da Galiza (Espanha) e a Regiâo Norte (Portugal). Com uma área de 267.958 ha, de território protegido em dois espaços naturais divididos pelas fronteiras, mas unidos pelas características da natureza e a cultura. Com uma rede hidrográfica densa, ecosistema em bom estado de conservação, espécies de fauna e flora de excepcional interesse para a conservação da natureza e a biosdiversidad, a Reserva da Biosfera Transfronteiriça Geres-Xurés constitui em muitos aspectos as diferenças que enriquecem o nosso património natural e cultural, uma realidade única que exige colaboração permanente em defesa e revalorização.

As diferentes orientações da substituição, as variações bruscas de altitude, e a influência dos climas atlântico, mediterrâneo e continental, dão origem a uma grande diversidade de microclimas na RBTGX. Estes, associados à constituição essencialmente granítica do chão, acreditem características particulares, originando aspectos botânicos muito especiais, que lhe confiren um lugar de preferência no que diz respeito à flora ibérica. Nesta região podem-se encontrar espécies de flora que variam desde aquelas que são características de zonas mediterrâneas e subtropicales, até as que predominan em zonas euro-siberianas e alpinas. assim como espécies endémicas como o Lirio do Xurés (Íris Boissieri), a timelea (Tymelea broterana) ou a armeria (Armeria humillis Subs Humillis).

A diversidade de habitats, a variada flora, e a fisiografía singular da RBTGX permitem reunir neste território condicionar favoráveis para a manutenção de uma grande diversidade de fauna. (Lobo, corzo, morcegos, marta, víboras, garrano).

No território estão identificadas 147 espécies de aves, muitas das quais são migratorias. Destacam, pelo seu status de conservação, ou pela sua reduzida área de distribuição na península ibérica o Aguila real, a choia piquirroja, o Bufo Real, e o falcón abelleiro.

O território definido pela Reserva da Biosfera Transfronteiriça Gerês-Xurés, particularmente nas áreas que formam os dois espaços protegidos, distingue-se pelo elevado valor do seu património natural, e pela existência de habitats naturais pouco fragmentados, que compreendem essencialmente a Sierra Gerês-Xurés, e integram a zona núcleo da RBTGX.

Em Portugal, o território delimitado pelo Parque Nacional dá Peneda-Gerês (PNPG), integra o SIC Serras dá Peneda e Gerês, PTCON 0001, criado ao sobretudo da Directiva Habitats, relativa à conservação de habitats naturais de flora e fauna selvagens–assim como também a zona de Protecção Especial (ZPE) da Sierra do Gerês, ao sobretudo das Directiva Aves, relativa à Conservação das espécies de aves. Abarca, ademais, a Reserva Biogenética Matas de Palheiros-Albergaria, PT 930003, incluída na Rede de Reservas Biogenéticas do Conselho da Europa. Ademais integra, desde 2008, a rede PAN Parks, onde estão incluídas as melhores áreas naturais da Europa.

Em Espanha, o território delimitado pelo Parque Natural Baixa Limia–Serra do Jures integra-se dentro do Lugar de importância Comunitária Baixa Limia (ÉS1130001), aprovado mediante a Decisão da Comissão de 7 de dezembro de 2004 pela que se adopta, de conformidade com a DC92/43/CEE do Conselho, a lista de Lugares de importância Comunitária dá Região Biogeográfica Atlântica (Diário Oficial dá União Europeia. 29.12.2004: L387/1) e da Decisão dá Comissão de 19 de julho de 2006, pela que se adopta a lista de Lugares de importância Comunitária da Região Biogeográfica Mediterrânea (Diário Oficial da União Europeia. 21.09.2006: L 259/1). Este espaço possui também, conforme à DC 79/409/CEE, a declaração de Zona de Especial Protecção para as Aves (ZEPA), com a denominação Baixa Limia–Serra do Xurés (ÉS0000376), figura que também é integrante da Rede Natura 2000.